Atendimento de seg-sáb das 8h às 18h (61) 33891411 (61) 985759685

Os carrapatos são pequenos, mas não são inofensivos, estes ectoparasitas são alguns dos principais transmissores de doenças virais, bacterianas e por protozoários. O carrapato não se instala apenas em animais, o ser humano também pode ser um alvo dos carrapatos. Ao picar um ser humano, os carrapatos podem causar pequenas manifestações alérgicas, assim como algumas doenças como a febre maculosa.  

Os carrapatos atacam criações de animais e resultam em prejuízos para muitos produtores. Para não passar por estes momentos difíceis, é preciso saber reconhecer quando sua criação está sendo atacada e quais as características de cada carrapato, para saber o que fazer nessa situação, ou até mesmo para se prevenir de possíveis futuros parasitas. 

Quando estão em jejum, os carrapatos são planos, mas após se alimentarem do sangue do ser parasitado, ficam convexos ou esféricos. Os tamanhos variam, os carrapatos podem medir a partir de 0,25mm de diâmetro. Seu escudo, chamado de carapaça, tem composição de quitina, na forma de um exoesqueleto, que é muito firme dado o seu pequeno tamanho. Seus climas de preferência são úmidos ou secos, por isso vivem no capim ou no chão, por exemplo. 

Famílias de carrapatos 

Os carrapatos são divididos em três famílias: Ixodidae, Argasidae e Nuttalliellidae. 

Ixodidae 

Se trata da mais numerosa família, com 720 espécies conhecidas no mundo. Cinco de seus quatorze gêneros são encontrados na Região Neotropical, são eles: Amblyomma, Ixodes, Dermacentor, Rhipicephalus e Haemaphysalis. Estes parasitas permanecem longos períodos em seus hospedeiros. 

Argasidae 

Já a família Argasidae não permanece com o hospedeiro por longos períodos. Ficam escondidos pela maior parte do tempo, procurando o hospedeiro apenas quando sente necessidade de se alimentar, geralmente enquanto os animais dormem. 

Nuttalliellidae 

Rara espécie africana que se diferencia das outras famílias por ter ausência de cerdas, tegumento fortemente ondulado e placas com formas esburacadas.  

O que é a febre maculosa 

A febre maculosa (FM) é uma doença infecciosa, febril e aguda que tem como principais vetores carrapatos do gênero Amblyomma, pertencentes à família Ixodidae. A doença é causada por uma bactéria gram-negativa intracelular obrigatória, chamada de Rickettsia rickettsii ou Rickettsia sp. A gravidade da doença pode variar entre leve, atípica e severa. 

Os três principais tipos de parasitismo  

Os três tipos principais de parasitismo são os carrapatos de um hospedeiro, carrapatos de dois hospedeiros e carrapatos de três hospedeiros.  

Carrapatos de um hospedeiro 

Entre os principais tipos de parasitismo estão os carrapatos de apenas um hospedeiro como o Boophilus microplus – também conhecido como carrapato do boi –, que chegam ao hospedeiro ainda na forma de larva. Ao iniciarem o parasitismo, aumentam de tamanho. Quando as fêmeas já estão alimentadas com o sangue, elas caem no solo e procuram um local para colocarem seus milhares de ovos, morrendo logo após.  

Carrapatos de dois hospedeiros 

Se tratam de carrapatos que, enquanto larva, permanecem no mesmo no hospedeiro. Mas quando chegam ao estágio adulto, procuram por um hospedeiro diferente.  

Carrapatode três hospedeiros 

O carrapato de três hospedeiros, como o Amblyomma cajennense – também conhecido como “carrapato do cavalo” –, sobem em um novo hospedeiro ao realizar cada uma de suas mudas.  

Os carrapatos mais comuns no Brasil 

No Brasil, existem quatro tipos mais comuns de carrapatos, que causam fortes danos a criações de animais, atrasando o desenvolvimento e os enfraquecendo.   

Boophilus microplus 

Também conhecido como o “carrapato do boi”, o Boophilus microplus é um parasita externo que vive parte de sua vida sobre os bovinos, alimentando-se de sangue. Quando infecção, o carrapato transmite hematozoários.  

Os machos e fêmeas se acasalam na fase adulta sobre o ser atacado. A fêmea ingere cerca de 0,5 ml de sangue do animal parasitado, só assim para se desprenderem e procurarem outro local com umidade o suficiente.  

Amblyomma sculptum 

Conhecido como “carrapato do cavalo”, também parasita o ser humano, sendo o principal vetor da febre maculosa, podendo causar inflamações e forte coceira. Enquanto larva, pode ficar 24 meses sem se alimentar enquanto espera por um hospedeiro. Sua forma adulta é também conhecida como “carrapato estrela”.  

Argas miniatus 

Conhecido como “carrapato de galinha”, se trata de uma espécie da família Argasidae. Este parasita sai de seu esconderijo à noite e se prende em aves para sugar o sangue, transmitindo a doença infecciosa bouba. 

Rhipicephalus sanguineus 

O típico carrapato encontrado em cachorros, tanto que recebe o nome de “carrapato vermelho do cão”, também atinge gatos. Enquanto os animais dormem, os carrapatos sobem para realizar a sua alimentação. Seu controle é mais fácil comparado com outros tipos de carrapatos.  

Forma de eliminação  

A descarrapatização é realizada por meio de banhos de imersão, com produtos que têm como princípio ativo os mesmos dos inseticidas de uso geral, a diferença se encontra em sua apresentação fisioquímica. Os produtos utilizados têm evoluído para acabar com a resistência que alguns carrapatos podem ter em relação aos químicos. Estas novas alternativas para acabar com os carrapatos não visam apenas diminuir a resistência aos carrapaticidas, mas também diminuir o risco de possíveis intoxicações para os animais e para os seres humanos. 

Prevenção  

Para que as contaminações de carrapatos para seres humanos não aconteçam, é preciso tomar alguns cuidados como usar camisas de manga, de preferência claras, botas com cano longo e proteção de fita adesiva entre a calça e a bota.  

O que não fazer  

Há quem acredite que para tirar carrapatos, o correto a se fazer é matar os invasores com fósforos acessos. Na verdade, a melhor medida é girar levemente o corpo do carrapato até que ele se desprenda. Jamais puxar ou pressionar.  

O que fazer 

Com a Folha Dedetizadora, você tem descarrapatização de qualidade para proteger tanto você, quanto os seus animais. São mais de duas décadas no mercado colecionando histórias de satisfação. Nossos profissionais são especializados e os produtos que utilizamos são autorizados e registrados no Ministério da Saúde e licenciados pela ANVISA. Assim, podemos garantir não só a prevenção ou fim de pragas, como também a sua segurança.  

Entre em contato e peça o seu orçamento: 

(61) 33891411   

(61) 985759685 

Comentários